INTRODUÇÃO

Natural, elegante, relaxante, uma profunda sensação de paz... são esses os pensamentos que vêm à nossa mente quando estamos em um Jardim Japonês.
foto tirada do livro: A Magia dos Jardins de Kyoto de Sérgio Sarkis Kaloustian
O Jardim Japonês, através de seu design e simbolismo, é hoje umas das tradições mais cultuadas do mundo. Por mais de mil anos vários jardins famosos foram construídos no Japão e muitos deles, continuam de pé até hoje, transformados em parques públicos. Estes jardins refletem a atemporalidade do trabalho de design do paisagismo japonês e conquistam cada vez mais a admiração dos ocidentais, através de gerações.
A visão que os japoneses tem da natureza é completamente oposta a dos ocidentais. Ao compararmos os Jardins Europeus com o Jardim Japonês, somos levados a crer que as crenças culturais de uma sociedade podem ser avaliadas através do projeto do seu jardim. Os japoneses, que tem o Shintoísmo como religião oficial, acreditam que os seres humanos fazem parte da natureza e devem viver em harmonia com ela. Os ocidentais, pelo contrário, por muito tempo acreditaram na superioridade do homem em relação à Natureza e que o ser humano tinha controle de que os cerca.
A abordagem dos japoneses para o projeto do jardim exemplifica essa relação de amor entre o homem e a Natureza. Na arquitetura tradicional japonesa, a casa faz parte do jardim, e não o contrário. O jardim japonês costuma ser implantado em frente a entrada principal da casa, para que os convidados possam passar por ele, antes de adentrar na residência.
No Ocidente, comumente o jardim é colocado na parte de trás do prédio ou casa, para ser visto através de janelas de vidro ou portas, reforçando a idéia de propriedade.
Os ocidentais tendem a iniciar um projeto paisagístico a partir de um espaço planejado, e preencher todos os espaços com elementos simétricos e perfeitos. Os orientais preferem a idéia de tranquilidade num espaço aberto, com elementos que que transmiram calma  e passem a sensação de antigo, como a própria natureza, com sua beleza e suas imperfeições  .
Na cultura japonesa, é de suma importância que o homem e a natureza saibam viver em harmonia. Nenhum elemento do Jardim Japonês está lá por acaso. O propósito desses jardins é trazer uma resposta emocional profunda do espectador através dos sentidos. Para isso, é necessário apreciar plenamente todos os seus significados espirituais e simbólicos escondidos em cada um dos seus elementos.

4 comentários:

Comentário, sugestões e correções: deixe seu recado aqui.